terça-feira, setembro 18, 2007

Blog together, die alone!

Como disse anteriormente, acabo de voltar de viagem. Fui para o Rio Grande do Sul e depois para Buenos Aires. Bom, e daí? Daí que este bost que vos apresento é para falar da minha paranóia causada por "Lost". Não entendeu? Lost? Viagem? Onde isso vai parar? Calma, acompanhem os acontecimentos.

Aviso: se você não sabe o que é "Lost", muito me espanta você saber ler.

Primeiramente, comprei minhas passagens pela BRA, totalmente desinformado sobre as recentes mudanças comerciais da companhia. Entrei no avião, sentei naquele buraco que eles chamam de poltrona e subitamente dou de cara com o nome "OceanAir". Suor nas mãos. Para quem não sabe, o avião que caiu na ilha de Lost pertencia à Oceanic Airlines.

Tudo bem. Nem se parece tanto assim. Mais calmo, ouço o piloto e sua velha ladainha em um inglês que faria inveja ao Borat: "uélcome tudé fláite", "dom ismôuque on de pleine", etc. Geralmente imagino a professora do Charlie Brown falando e fica tudo bem, mas espere! Ele disse "namaste"? Depois de tudo, ele disse "thank you, and namaste". Eu ouvi, minha esposa ouviu também. Claro, não somos exemplos de lucidez, já que sempre ao final dos episódios ficamos correndo em círculos gritando e balançando os braços pra cima. Mas o que ele poderia ter dito? Good night? Have a nice trip? Nada parece bater com "namaste".

O translado correu sem mais excentricidades, até porque por estarmos na parte da frente do avião sobreviveríamos de qualquer forma. Mas aquilo ficou na minha cabeça.

De volta à Natal, em meu velho trabalho de fiscal de obras da prefeitura, me deparo com a seguinte situação: uma construção estranha, em uma rua pouco movimentada. Paramos o carro na margem oposta e quando estávamos atravessando a rua, o vigia da obra nos intercepta antes que cheguemos à entrada, perguntando do que se tratava. Explicamos, e obtivemos o endereço do escritório aonde devíamos nos dirigir. Antes de sair, discretamente batemos uma foto da placa da misteriosa obra. Veja com seus próprios olhos.



Aproveito agora para me despedir preventivamente de vocês, pois não sei se estarei vivo para continuar este blog.
Pela atenção, obrigado. E namaste.

Um comentário:

Manú disse...

Nossa!!!
Vc ainda escreve...
Pensei que era só eu que tinha essa vida bandida nas entrelinhas de "viajar" e depois relatar suas "viagens". KD meu colaborador no arqrn, hein???
rsrsrs
Comece fazendo sua inscrição no sites, faz favor!